domingo , 8 dezembro 2019
Home / Carreira / Macaé cria 2,1 mil postos de trabalho e atinge melhor média em cinco anos

Macaé cria 2,1 mil postos de trabalho e atinge melhor média em cinco anos

Compras de Natal no Calçadão. Data 09/12/2016. Foto: Bruno Campos/Prefeitura de Macaé-RJ

Principal termômetro que indica recuperação das atividades econômicas que sustentam o equilíbrio financeiro dos municípios, a geração de postos de trabalho representa o fim da crise, e o início de uma nova fase de progresso e de prosperidade, a realidade já encarada por Macaé em 2019.

Com 2,1 mil empregos gerados entre janeiro e outubro deste ano, Macaé volta a ser reconhecida como a cidade das oportunidades, e reencontra no petróleo, a garantia de recuperar o protagonismo no Estado, ao ser reconhecida também com a cidade que concentra o ambiente mais favorável para a consolidação de negócios do campo offshore, e todas as áreas influenciadas pela indústria de óleo e gás.

As vagas criadas neste ano representam o aumento de admissões (33.896) em relação ao número de demissões (31.740) homologadas pelo Ministério do Trabalho, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Publicidade

Os números representam hoje a oportunidade de Macaé estabelecer um novo formato econômico, transformando o petróleo não mais como a única vertente de negócios, mas o combustível capaz de impulsionar outros segmentos fortalecidos em meio ao período de recessão mundial da indústria offshore, em especial o mercado de inovação e tecnologia, já consolidado pelo Programa Startup Macaé.

Prova disso é que, das 10 principais áreas que mais admitiram na cidade neste ano, quatro representam a indústria de óleo e gás. Neste total, o comércio e a prestação de serviços também empregaram e abriram vagas, um formato novo para o mercado de trabalho local que ainda segue em fase de adaptação.

Ao atingir a melhor média dos últimos cinco anos, Macaé supera cidades importantes para o petróleo, como Niterói e Maricá, e vive um momento diferente da Capital do Estado, que amarga um quadro de demissões e mantém o saldo negativo na geração de empregos.

Veja Também

Tecnologia e ciência devem pautar agricultura, diz ex-ministro

O Instituto Fórum do Futuro reúne nesta semana, em Brasília, um grupo de acadêmicos, formuladores, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *